domingo, 14 de julho de 2013

Adíos Santiago...

Hoje é nosso último dia em Santiago, nesta viagem. Espero logo voltar aqui, com minha mãe e meu filho. Acho que eles vão adorar!

Deixamos para fazer uns passeios light por que os tornozelos já dóem... Estamos uns verdadeiros andarilhos.

O dia começou indo atrás do "Terminal de buses de Santiago". Fomos até lá só para saber como ir até Viña del Mar sem ter que pagar excursão. Os ônibus saem de meia e meia hora a partir das seis da manhã e você pode comprar a passagem na hora. Cada bilhete sai a $2600 pesos chilenos. O terminal fica na Estação de metrô Universidad de Santiago (linha 1 - vermelha - sentido San Pablo). Adorei!!!!
Há quem goste de pegar excursão, mas eu prefiro desbravar os lugares por minha conta.

Tudo planejado, agora é relaxar e fazer o que sabemos fazer de melhor... bater perna. Fazem agradáveis 15 oC... Sinto até calor!!!

Com preguiça de andar, pegamos o metrô de volta a Plaza de Armas. O centro de tudo o que acontece em Santiago. Descobrimos que aos domingos os museus tem entrada gratuita e fomos logo aproveitar o dia!

Chegando na praça entramos no primeiro museu que vimos aberto (acabamos por descobrir que era o único!). Museu histórico nacional. Ali pudemos aprender um pouquinho da história do Chile. Cercada de heróis, combates, golpes militares, violência e dor.

O Chile se tornou independente um pouco antes do Brasil. Em 1817 se libertaram da coroa espanhola e fundaram uma espécie de república iluminista, com Bernardo O'Higgins a frente da nova nação. Com esse sobrenome, deve ser descendente de irlandeses... Quem sabe um parente distante dos O´Connor, bravos príncipes irlandeses que lutaram por uma Dublin livre (Os Príncipes da Irlanda).

No museu há uma sala reservada para as memórias do golpe militar de 1973 e um pedaço dos óculos do simpático Salvador Allende, que como consta nos autos, suicidou-se no palácio de La Moneda... Só os óculos sabem de "la verdad"....

Vale a pena visitar este museu. Ele tem peças desde a pré-história chilena até os dias de hoje. Seguindo pelos corredores, você passeia por toda a historia de "La Serena",  simpático apelido dado pelos chilenos ao seu país.

Com base na história, vemos que de "Serena" essa pátria não tem nada! A turma tem é muita raça, sangue quente e coragem. Foram muitas convulsões sociais, revoltas, guerras e repressão até o Chile se tornar o país latino-americano de melhor posição no ranking do IDH ( Índice de Desenvolvimento Humano). Está em quadragésimo lugar, enquanto que o Brasil está na 85a. posição... É... Parece que podemos aprender algo com os chilenos....

Depois do banho de história, nos rendemos a preguiça... Uma pausa para um leite com chocolate bem quentinho e um passeio na praça.


Demos sorte de ter a banda dos carabineros tocando bem na hora. Os simpáticos policiais tocaram várias modinhas pro povo dançar. Pareciam muito humanos e doces....(Não queira encontrar com eles em dia de greve geral...)Quando a banda começou a tocar, dei aquela mirada para o Vand a qual ele respondeu com um decidido: - Nem pensar! Não vou dançar aqui! E postou-se com a firmeza dos gaúchos e a teimosia dos alemães....

Eu, tratei de me comportar, ora....

Durou pouco. Logo vi uma senhorinha dançando com sua muleta. Em seguida, um animado casal pôs-se a bailar como se não houvesse amanhã.... Aí, não resisti e tirei meu par para dançar também!!!!

Suados e felizes, fomos em busca de almuerzo.

Difícil achar comida vegetariana, mas hoje demos sorte. No Paseo Huerfanos tem um restaurante chamado Nuria que serve tortillas de legumes - maravilhosas!!!

Depois de um café Latte no Starbucks julgamos estar prontos para bater mais as pernas....

Andando a esmo achamos o Teatro Municipal e esse pitoresco bar...


Reza a lenda que Bill Clinton, em visita oficial ao Teatro, tendo muita vontade de fazer pipi, quebrou o protocolo e atravessou a rua sozinho, entrando em seguida neste bar que na época tinha outro nome... Daí em diante, o bar foi rebatizado em homenagem...

Descobri essa história assistindo ao vídeo que a Maria postou como comentário do meu post de ontem. Adorei, Maria!!!

Continuamos a caminhar e terminamos por achar novamente o Cerro de Santa Lucia, onde estivemos ontem. O local é maravilhoso. Tem uma vista linda e a entrada é grátis todos os dias!! Só a lojinha dos índios que estava fechada. Ainda bem que conseguimos vê-la ontem...


Agora, é voltar para o hotel. Preguiçar mais um pouco, curtir o restinho de dia, tomar mais um capuccino ou dois... e rever as fotos desses dias maravilhosos.

Adíos, Santiago....Hasta luego.

sábado, 13 de julho de 2013

Ativismo de sofá

As vezes tenho raiva dos meus textos água com açúcar. Tanta coisa ruim acontecendo no mundo e eu postando chocolates e fotos felizes. Tento me perdoar pensando que ao postar coisas alegres posso adoçar a vida de quem investe seu tempo lendo meus textos. Quem sabe alguém muito triste ou com vontade de viajar e sem poder. Ou ainda, pensando em viajar e procurando dicas. Quem sabe alguém com problemas existenciais semelhantes... Quem sabe alguém tentando aprender português... Ou buscando alguma poesia... Ou apenas tomando um café....Quem sabe alguém lê.... ou não. Há tantos livros na estante e tantos links disponíveis. Difícil competir...

Contudo, sem me preocupar com links, estantes ou viagens mentais... Sigo escrevendo o que me dá vontade. Desejando que um link para esta postagem seja lido, criticado, comentado.. não ignorado ao final....

Enquanto isso, no mundo real, manifestações terminam em bombas e porrada. Pessoas seguem pedindo esmolas. Mulheres seguem sendo abusadas verbal ou fisicamente. O custo de vida segue aumentando. Seguimos com a falta de médicos, com hospitais caindo aos pedaços. E a corrupção segue crescendo. E a cara de pau dos políticos só piora.

O Governador do Rio segue usando helicóptero para ir "trabalhar!!! E acha normal fazer isso todos os dias. E ainda dar carona ao totó da família...   Sergio Cabral usa helicóptero para ir trabalhar. A distância do luxuoso apê do distinto Governador e seu Palácio Guanabara é de apenas 10 km!!! Porra, Cabral!! Vai de bike!!!!!!

Vontade de gritar, ir pra rua e bater panelas. Mas, claro que não farei nada disso. Continuo aqui, no meu ativismo de gabinete. Com o netbook no colo e debaixo do edredom. Sou mais uma pessoa da sala de jantar, assistindo o mundo mudar pela tela. Não mais da TV, pois ao menos desse vício me curei. Mas, pela tela do computador. Abro a Folha, a Zero Hora, o portal Terra e só o que vejo é o povo revoltado, tomando as ruas e exigindo seus direitos.

De certo modo, julgo-me responsável por essa bandalheira toda, assim como julgo responsável toda a população brasileira. Votamos mal. Muito mal mesmo. E depois das eleições, não exigimos nada dos nossos eleitos. Não acompanhamos seu trabalho... Não cobramos suas promessas. Sequer lembramos os seus nomes.

Daqui a pouco mais de um ano teremos mais uma eleição. Dessa vez, para Presidente e Governador. Votaremos também nos Senadores da República. Por mim, teríamos uma eleição só. Essa coisa de ter eleição a cada dois anos só serve para desviar mais dinheiro e inchar ainda mais o sistema. E como já sabemos, de muito gorda a porca já não anda.

É bom dessa vez escolhermos bem os candidatos e lembrarmos dos seus nomes e das suas promessas. Eles são servidores públicos, logo, trabalham para nós... não o contrário.

Com a intenção de fazer de mim e desse blog algo mais útil, seguem alguns links que podem lhe ajudar nas próximas eleições:

Benefícios dos Senadores da República
Transferência de recursos do Governo Federal para os Estados (Estranho que o Gabinete do Governador do RJ é o que mais dinheiro recebeu do Governo Federal em 2013.... estranho)
Lista de deputados e senadores que respondem a processos na justiça
Lista de políticos envolvidos no mensalão

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Minhas primeiras impressões sobre o Chile.

Minhas primeiras impressões sobre o Chile.

1 - Meu castellano está enferujado. La prueba: O dono do hostel é inglês. Perguntou, em espanhol, se eu preferia me comunicar em inglês ou na língua da terra. Respondi em inglês que assim preferia porque sou melhor nesse idioma que em castellano. Resposta dele em bom português... "MUITO" (querendo dizer: Seu inglês, mesmo destreinado, é muiiito melhor que seu castellano). E disse isso com ênfase! Lástima!!
E eu me esforçando toda para falar um castellano limpinho... bah! Travei! Não falo mais em castellano com ninguém!

2- Ainda não me entendi com esse dinheiro.. tem muitos zeros. 18000 pelo táxi. 1500 por um café... Ah - e é bom tomar cuidado. No meio do troco eles lhe empurram notas danificadas, que você não conseguirá usar em lugar nenhum. Achei isso um desrespeito com o turista.Caímos nessa uma vez e perdemos uma nota de 1000 (cerca de 5 reais). Na segunda vez, eu estava esperta e pedi para trocar. Foi em um supermercado e a mocinha ainda fez cara feia quando reclamei!

3 - A diferença de preços é absurda. Não saia comprando tudo o que vê, especialmente artigos básicos. Uma garrafa de água mineral de 1,5 L tem preços variando entre 399 e 980 pesos! E tem mais, se sabem que é turista lhe cobram tudo mais caro. Se vai comprar artigos do dia-a-dia, prefira supermercados, mas preste atenção ao troco!.

No mais, o Chile é lindo. E se prestar atenção, verá que as cordilheiras aparecem como uma pintura em certos pontos da cidade. Não parecem reais. Parece que alguém colocou uma obra de arte ali para você ficar admirando.

Vista do Parque Metropolitano (Cerro de San Cristóban)

Politicamente o Chile não me pareceu diferente do Brasil. Assim como em nosso país, planejaram uma greve geral para o dia 11 de julho. Nos muros e nos cartazes, queixas muito semelhantes às nossas. Nas ruas, o aparato policial montado parecia esperar por uma guerra. Não participei de todo o movimento, mas vi seu início. Pareceu-me bastante pacífico e bem humorado. As notícias nos jornais, assim como no Brasil, transformaram os manifestantes em vândalos e destoaram bastante do que eu vi. Não me surpreendo mais com isso. Parece que mídia, sindicato, polícia... é tudo a mesma coisa....

Cachorrinho abre passagem para manifestantes latindo. À direita, aparato policial parece se preparar para uma guerra - Centro de Santiago - 11 de julho de 2013


Chegamos a Santiago no dia 10 à noite. Como já era tarde, deixamos para passear no dia seguinte, sem saber que a cidade se preparava para uma Greve Geral.

Foi interessante ver as pessoas se mobilizando. A princípio, tudo parecia funcionar normalmente. Aos poucos porém, vimos pequenos grupos se organizando com faixas e cartazes. Batendo tampas de panela e gritando palavras de ordem. Até os cachorros se uniram ao movimento! Tirei várias fotos daquilo que me parecia a preparação de um  momento histórico para os Chilenos.

Cachorrinho abre passagem a manifestantes
Montagem de tapumes em prédio de banco privado
Aparato policial
Passeamos um pouco pela Plaza de Armas, onde um vendedor de uma papelaria nos alertou que a coisa ia "esquentar" mais tarde. Ele mesmo pretendia fechar a loja e sair dali, pois é na Plaza de Armas que as manifestações tem seu ponto alto.

Ignorando avisos, ficamos mais um pouco e ainda paramos para um chocolate quente.

Ainda na Plaza de Armas, entramos na Catedral de Santiago, onde um aviso deixa bem claro que não é permitido namorar no templo! Afora o pitoresco aviso, fiquei muito impressionada com a imponência da Catedral. Não deve nada às igrejas européias. Apenas senti que está precisando de uma reforma. Parte das abóbadas está danificada pelo tempo e as estátuas estão precisando de limpeza.

   

Dentro da Catedral há uma capela dedicada a Virgen Del Carmen, com uma imagem belíssima da Santa. Estava havendo missa na capela, por isso, não tirei foto. Acima, algumas fotos da nave principal. A da direita mostra um altar todo de prata. Muito bonito.   

Caminhamos pelo Paseo Ahumada até quase no Mercado Central e de lá, voltamos ao hotel passeando pelas lojas que encontramos no caminho. Foi onde percebi como os preços podem variar nesse país! Parece o Brasil da década de 80!

Ao chegar no hostel, o atendente perguntou se havíamos visto as manifestações. Disse que haviam queimado um ônibus em algum lugar perto dali. Eu disse não ter visto confusão, mas muita gente e polícia na rua. Ele me disse para não tirar fotos. A polícia poderia tomar minha câmera!!! OOOPs....Too late!! Parece que Deus protege as crianças e os turistas inocentes....

Planejamos ir ao Patio Bellavista a noite para jantar com amigos brasileiros, mas como Vandi teve uma febrinha, devido a diferença no clima, preferimos ficar no hotel e descansar. Além disso, sirenes avisavam que o clima estava mesmo quente nas ruas. Deixamos o patio para o dia seguinte. Não nos arrependemos. Vale a pena ir. É muito bonito e animado, tanto de dia como de noite.

Almoçamos uma pizza maravilhosa com vinho. O preço não é tão salgado, considerando que é um local turístico. Além disso, tem várias opções mais em conta. Detalhe... Como esquecemos de avisar que queríamos a promoção de pizza + bebida + postre e o garçon "esqueceu" de nos avisar... pagamos mais caro, pois pagamos todos os itens em separado..... Coisas de Chile...

 


  
Outro lugar que gostei de conhecer foi o Cerro de San Cristóban, onde fica o Parque Metropolitano. Lá tem um zoológico e uma bela vista da cidade. Dá para ver um pedacinho dos Andes também.




 Estando em Santiago, visite o Mercado Central. É como um "mercado do peixe", mas tem também artesanato, frutas secas, castanhas, restaurantes e bares. Vale a pena.

Fiz a clássica pergunta a um dos garçons que nos convidava a almoçar:  ¿Hay opciones vegetarianas?...
Respuestas: ¡Claro! Por supuesto. Hay pescado, mariscos....

Ai ai... parece que esse é um problema crônico da humanidade!!! Gente!! Vegetariano não come bicho!!! Nem frutos do mar!!!!!!!!

E foi só por isso que não almoçamos lá....

Por hoje é só. Amanhã tem mais.








Dicas para turistas - Blog de uma chilena criada no Brasil que decidiu voltar à sua boa terra e dar dicas para nosostros...Chile para brasileiros

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Carta da menina dos pés descalços para sua filha



26/04/11. 


Filha, hoje vou lhe contar um pouco da minha história, em Bela Aliança.


Meus padrinhos moravam bem perto da fazenda do vô . De vez em quando eu ia lá. Adorava ir na casa da madrinha Xicuta e padrinho Ernesto. Ela era um amor. Muito gorda...tadinha, quase não podia andar. Ele era muito elegante e severo também. Acho que era o machismo dos coronéis. Se não fosse assim, não era homem. Mas, deixa pra lá.


Lá tinha um grande açude, que para mim, parecia o mar. Só descobri que não era depois que conheci o mar de verdade. 


Meu padrinho me dava de tudo. frutas, queijo, roupa de chita. Era moda, né? Eu adorava.  Ele me levava pro curral e me dava leite na caneca tirado na hora. Era muito bom. Sua casa era imensa. Eu me perdia dentro dela. Morria de medo de ficar sozinha,  mas amava ir lá. Quando voltava para casa trazia muitos presentes. Ele só não me dava dinheiro. Eu era louca pra ganhar um dinheirinho, mas o velho era muito pão duro... 


Quando na seca de 1958, não tínhamos nada para comer, meu pai falou para mamãe: 

- Minha velha, vamos morrar no Saco , o governo vai abrir uma frente de trabalho, fazendo uma rodovia que vai até Brasília . Vamos ter muito trabalho. Não vai nos faltar nada, principalmente para as crianças.

Todo mundo chorou, ninguém queria ir. Bela Aliança era muito bom. Vovô era muito amigo de papai. Ele nunca ia deixar faltar nada para nós. 



Casa sede da fazenda de Brígido Alves de Moraes - avô da minha mãe. Está bem conservada e hoje pertence a outra família. Foi vendida em 1968, quando meu bisavô morreu.


Vô pediu para papai não ir. Ele dizia: 
- Não confio em ninguém do Governo, compadre Antônio. Não sabemos como vai ser essa tal de rodovia. Você é como filho pra mim! Fique aqui na sede da fazenda e eu cuidarei para que não lhe falte nada! 

Mas, que nada! Papai não gostava de depender de ninguém. Mesmo porque ele tinha uma penca de filhos. Foram 14! Mas, naquela época só tinham 12 vivos. Era filho demais para alimentar.


Mãe chorou. Não queria ficar longe do seu pai (o meu avô Brígido). Mas, enfim, não tinha escolha. Fomos todos morar no Saco do seu Brígido! 


Nossa casa no Saco era bem grande.  Parte de tijolo, parte de taipa. Era uma especie de barro que se jogava num trançado de corda de bambu. Sei lá, era muito complicado. É aquela parede que cria o inseto que causa a doença de Chagas .


Lá no Saco meu pai montou uma budega.  Vendia muita bebida para os trabalhadores da rodovia, que ele chamava de ‘cassaco’ ou coisa parecida. Nos fins de semana era muita briga e bebedices. Minha irmã Nailza trabalhava na venda. Ela era a mais velha e também a mais bonita. Moça séria, de traços finos e pele clara. Cabelos muito lisos de um castanho claro que brilhava ao sol. Cinturinha fina e olhos muito escuros e decididos. Todos os homens da região a desejavam. Mas, ela tinha um namorado. Ele ia lá pra casa todo fim de semana, para cuidar dela.


Mas, os negócios de papai não iam muito bem. Os homens bebiam mas não pagavam, e ele acabou falindo. Em pouco tempo tivemos que fechar a barraca. 


Lembro-me de que um dia a mãe tinha um punhado de feijão para 10 filhos, porque 2 já moravam no RJ. Ela disse :

- Tonho, só tem isso. 
Ele disse :
- Eu sei que você sabe fazer disso aí uma grande panela de pirão. Todos nós vamos comer e ainda vai sobrar.

Ele fez um carinho nela, e ela foi pro fogão de lenha toda feliz. Colocou aquele punhado de feijão no caldeirão com água, e meteu lenha nele. Colocou cheiro verde, alho e mandou farinha! Ficou uma delícia! Nossa! Como nós comemos...Quando ela colocou pra todos ela disse :

- Vem, meu velho, comer!
Ele disse : 
- Não! Só vamos comer depois que as crianças acabarem, se não pedirem mais. 

Deram sorte que eu ouvi isso. Fui até a mesa e disse ao meu irmão Manoel: 

- Papai falou que ele e mãe só comem se a gente não pedir mais. 
Meu irmão então falou: 
- Ninguém vai pedir para repetir!
- Ah, mas por que? Tá tão bom? 
Ele não quis nem saber...
- Se pedir, pai e mãe não comem!
E assim foi feito! Depois, ficamos sentados olhando os dois se alimentarem. Nossa, filha, essa foi forte. Estou chorando agora. São lembranças muito vivas em minha mente e reais também. 

Vamos lá... Assim ficamos quase 2 anos. Finalmente o inverno chegou. Lá no sertão, isso significava chuva. Quanta alegria! Plantar, limpar, colher... Era muito bom.


Pai acordava a gente as 5 horas da manhã. Ele sabia que eu adorava ir para roça com eles, então ele me acordava primeiro para eu fazer um caldeirão de café para todo mundo. O açude transbordou. Os rios cheios chegavam quase na nossa casa. Era uma alegria só! Quando nós íamos colher, nos dias que eu ia, meu pai falava para os meus irmãos deixarem para trás algumas espigas de milho,  e um pouco de feijão ou algodão - Ele sabia que depois eu vinha sozinha e catava as sobras para vender e poder comprar sabonete, pano, chinelo e pasta de dentes. Quando ia alguém na cidade eu pedia para trocar pra mim. As vezes, meu pai mesmo fazia isso. Depois que eu conheci a história de Noemi, vi que meu pai foi um Boaz pra mim. Ele era tudo! Meu Abraão. Sábio, sempre pronto para aconselhar. Amigo... Meu pai foi meu grande herói. Te amo papai.


Voltando para a realidade daquela época.... Onde eu estava? É muita emoção...Ah.. Sim, lembrei. 


Tinha um açude bem perto de casa, era chamado de barragem. Era um paredão muito alto de concreto no meio de grandes pedras. Muito bonito e muito fundo. Está lá até os dias de hoje. Tinha hora pra gente tomar banho nele. Os compadres tinham muito ciúme das esposas e filhos. Determinaram um horário para o banho. As mulheres com suas filhas tomavam banho pela manhã e eles com seus filhos tomavam a tardinha. Depois descobriram que alguns ficavam escondidos nas árvores para ver a gente tomando banho.


Um dia, um marido chifrudo e ciumento jogou uma praga no açude. Disse que enquanto ele vivesse com a esposa viva, aquele açude ia ser aterrado pela enchentes. Só depois que eles morressem ele iria voltar a ser açude. Não é que aconteceu? Veio uma enchente tão forte! As chuvas duraram dias. Quando a chuva passou, as águas baixaram e foi comprovada a maldição! O açude aterrou. A areia passava por cima do paredão de concreto. Dizem que ele já morreu. A viúva está viva, mas o açude voltou a ser fundo de novo. O paredão teve que ser reconstruído. Eu vivi isso! 

Foto atual da barragem do Saco. Hoje a região pertence a vila de Facão. Dizem que esse açude nunca seca.

Só ainda não vi o açude de volta mas, vou ver se Deus quiser!

Nele, quase perdi minha mãe e minha irmã Terezinha afogadas. Outro dia lhe conto essa história. Lembra da carreira do touro? Pois é, foi á também. 

Naquela época era eu que carregava latões de água na cabeça. Para encher 3 potes grandes e para cozinhar. Botava trouxas de roupas na cabeça e ia para o açude lavar. Eu e minha irmã. Só que ela só ajudava a lavar as roupas. A água era eu que carregava. Acho que é por isso que tenho hoje tantos problemas de coluna. 

Ah....agora cansei.  Depois conto mais. Boa noite, filha... 


Mãe, suas histórias são muito bonitas. Obrigada por ter paciência de repeti-las para mim toda vez que eu peço. Adoro ouvi-la contar esses "causos". Eu lhe prometi levá-la de volta a sua terra e consegui pagar minha promessa. Espero que tenha gostado. Vamos continuar escrevendo juntas, viu?








[i] Brígido Alves de Moraes – antigo fazendeiro do interior do Ceará. Toda a vila de Bela Aliança pertencia a ele. Suas propriedades faziam divisa com os povoados de Barro Vermelho e Facão.
[ii] Saco do Brígido – Antiga área de terra situada em um vale, de propriedade de Brígido Alves de Moraes. Atualmente pertence a vila de Facão, no interior cearense.
[iii] BR-020 – liga Fortaleza a Brasília. O governo federal recrutou sertanejos para trabalharem na obra da rodovia, como uma forma de ajudá-los a fugir da seca e de quebra, servir de mão de obra barata para a construção do “país do futuro”.
[iv] Barbeiro – inseto transmissor da doença de chagas.  Um dos irmãos da Nena faleceu, já adulto, em conseqüência desse mal adquirido naquela casa, em sua infância.