quarta-feira, 27 de abril de 2011

Palavras, palabras, mots, words, worten...

Vontade de escrever.

Tantas ideias na cabeça. Tantas palavras soltas pelo ar. Quase posso vê-las. Tantas coisas para dizer e ninguém para ouvir. Melhor assim. Nessa hora é prudente calar. Melhor não dizer. Melhor ouvir para aprender. Melhor escrever.

Escrevo então. Desabafo. Deixo os dedos correrem no teclado como se fosse um piano. Só que a música não sai. Está presa. Dentro de mim. A Poesia está presa em algum recanto oculto do meu ser. Ou então, saiu para passear e não me avisou. Por que deveria, afinal? A Poesia é livre. Não pertence a ninguém. Inspira a quem quer, quando quer.

Aqui, sozinha em meu quarto, posso ver o mundo inteiro com as janelas fechadas. Um mundo virtual. De mentira. Mas...Onde está o mundo real? O que é real? Fotos sorridentes mostram um mundo feliz. Um admirável mundo novo, cuja droga é a conexão de banda larga. Quanto mais rápida melhor. A minha é uma droga lenta. igualmente viciante mas que nem chega a dar barato.

O barato da linguagem é a multiplicidade de opções. Você pode desejar o que quiser. Um desejo para cada idioma. Um querer para cada sotaque. Eu tenho um sonho em cada língua!

I wish i could travel around the world, right now!! Meeting real people. Touching real hands. Listening real laughs. Kissing real mouths. There are so many things to see. So many voices to hear. Accents, smells, tastes. There is no reason to be here. Waiting for something that never happens. Sometimes I wonder what am I really waiting for. What do I want?

Je suis une femme, j'ai 38 ans et je suis celibataire. Je n'aime pas être celibataire. Je voudrais avoir une famille grande. Beacoup d'enfants. Beacoup de chiens. Je voudrais vivre dans une maison blanche dans le montaignes avec une grande salon, un jardin, les arbres et mes amis.

Soy una chica muy divertida. A mí me gusta bailar. La música me encanta. Personas sonriendo, bailando, cantando. Eso es vida. Un buen vino argentino. Pan italiano, queso de Francia e un hombre Español. Eso es perfecto.

Ich spreche nicht Deutch! Aí está um idioma duro! Não dá para sonhar em alemão. É muito seco. Frio. Autoritário. É lindo. Gutural.Tentei aprender, mas desisti. Troquei pelo francês.

Se os idiomas fossem uma orquestra, o alemão seria a percussão. O francês a flauta. O inglês, os contra-baixo. O espanhol os violinos e o português seria a gaita.