terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Porto

Hoje vi na página de estatísticas que meu blog teve a visita de uma pessoa de Portugal. Fiquei contente! Havia alguns dias que não escrevia nada. É tanta desgraça acontecendo no mundo, que às vezes eu me sinto envergonhada por estar feliz. Depois de muita reflexão, entendi que o sofrimento sempre vai existir. Podemos amenizá-lo com solidariedade e amor ao próximo. Mas ele sempre estará lá. E por isso mesmo, acho que o mundo está precisando de mais alegria. De cores, risadas e flores.

Alguns podem achar que o que faço é exibição.  Mas compartilhar alegria não é pecado. Pelo contrário. Pode ser uma benção. Imagine que você está triste e solitário. Aí começa a navegar e encontra um texto engraçado, divertido ou até mesmo sem graça e mal escrito. Qualquer que seja o resultado da sua pesquisa, ou sua opinião sobre ela, só o fato de parar para emitir uma opinião já o distraiu da sua dor. Já valeu a pena.

Isso posto, decidi fazer uma homenagem aos nossos patrícios.

Minha visita ao Porto foi breve. Apenas quatro dias. Quatro maravilhosos dias! Ficamos hospedados na casa de Ricardo e Helena. Um casal muito bacana com uma filha linda e inteligente. Fomos tratados como parte da família.
O sotaque português é uma delícia. Aprendi que 'fixe' e 'giro' são coisas muito legais e que o vinho do Porto na verdade não é de Porto!! Pasmem!! É de Vila Nova de Gaia!

Eu preciso corrigir essa injustiça histórica!!

O vinho do Porto é produzido nas vinícolas de uma região nobre de Portugal. É envasado e envelhecido em Vila Nova de Gaia, cidadezinha separada de Porto pelo Rio D´Ouro. A região onde se produz as uvas que vão virar vinho do Porto é controlada e foi estabelecida pelo Marquês de Pombal. Esse mesmo que vocè está pensando. Além de amante do vinho, ele era estadista e diplomata. Enquanto Primeiro Ministro em Portugal foi defensor do Estado laico, expulsou os jesuítas e implementou medidas econômicas que mudaram a história da nossa metrópole. No Brasil, implementou reformas na educação e instituiu a língua Portuguesa como idioma oficial da colônia.

O sábio e autocrático marquês definiu uma região específica de Portugal para a produção do Vinho do Porto visando valorizar o produto que já era uma marca registrada do país. Sendo de origem controlada, poder-se-ia aumentar o preço de venda e assim, proteger a indústria vinícola portuguesa.

Pausa para comentário: O uso da mesóclise foi uma homenagem aos nossos anfitriões portugueses. Eles usam essa forma verbal com muita naturalidade. A coisa mais linda que ouvi foi uma menina de oito anos usando mesóclise lindamente. Algo do tipo: 'Poder-se-ia compra pão se a padaria não houvesse fechado' (!) E ao final do seu discurso impecável ela fecha a conversa com uma singela pergunta: Posso brincar convosco? Não é Lindo?  CLARO que pode brincar conosco, rapariga!

Voltando ao vinho do Porto.
Existe um passeio padrão que todo turista deve fazer. Consiste em visitar as caves das principais vinícolas da região e provar pelo menos três taças de vinho em cada uma delas. Depois, páre numa padaria típica e coma sanduíche de fiambre. Depois, pegue o funicular, uma espécie de teleférico como o do Elevador Lacerda de Salvador. Vá visitar o centro de artesanato na beira do Rio D'Ouro e tire muitas fotos... Depois... Suba a Torre dos Clérigos, tenha vertigens e tire mais fotos. Depois....Bem, depois você vai querer ir para casa curar o pilequinho e levar as caixas de vinhos, doces e lembrancinhas que comprou...





O Vinho do Porto é bem diferente dos vinhos tradicionais. A fermentação é interrompida com aguardente de uvas ou brandy que chega a ter 75% de álcool! Portanto, é servido em pequenas doses. A taça é parecida com a de licor, só que um pouco mais longa. Não se bebe Vinho do Porto. Degusta-se.

Eu provei o branco - usado como aperitivo e o Rosé - que pode acompanhar sobremesas tais como chocolates belgas.. hummmm... maravilhoso. O que mais gostei no entanto foi do tradicional. O tinto, que tem uma coloração rubi e um sabor que lembra.... Porto!



A comida de Portugal é um pecado à parte. Mas o que tira o juízo de qualquer cristão são os doces. Eu provei de tudo um pouco. Pastel de Belém; Pão de Ló e ovos moles... ah.. os ovos moles.... É para comer rezando!! Como fez minha amiga Daniela!!!


Helena nos explicou que as freiras portuguesas se especializaram em doces usando gemas de ovos. Isso porque as claras são usadas para fazer a hóstia e elas não sabiam o que fazer com as gemas. Viravam resíduo. Elas então começaram a testar receitas que foram ficando famosas primeiro dentro dos conventos, depois nos Castelos e finalmente, na padaria do seu Manuel!

Aprendi que 'sonho' em Portugal se chama 'Bolas de Berlim', que Pastel de Belém não é de Santa Clara (rs) e que é muito difícil achar bolinho de bacalhau nos restaurantes.


Espero voltar a Porto. Foi uma linda viagem. Inesquecível.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

London Night

Um momento para comentar a noite londrina. No dia 27, véspera de viajar para o Porto, combinamos de ir ao teatro. Era para ir ao Her Majesty para ver o Fantasma da Ópera. Minha primeira tentativa de ver esse mesmo musical naquele mesmo teatro foi em 2008, com Nanda e Alvaro. Devido a um engarrafamento monstro na volta de Stonehenge, acabamos perdendo o primeiro ato. Dessa vez eu nao queria perder nem um minutinho.

Ficamos todos lindos para ir ao teatro. Afinal, era o Her Majesty!! Eu e Dani de salto. Hugo parecendo o Hitman 47 em seu sobretudo preto. Para garantir que não iríamos nos atrasar, pedi um táxi. Dani me pediu para não postar isso no blog. Afinal, é uma traição à causa mochileira! Mochileiro que se preze vai a pé, de ônibus ou de metrô. Nunca de taxi! Muito menos de salto alto!! Bom, achei legal contar, afinal, mochileiro de verdade também quebra as regras de vez em quando.

Com toda a minha logística de transporte em ação, chegamos 50 minutos antes do teatro abrir! Beleza! Dá tempo de tomar uma cervejinha naquele bar ali ó... chamado Sports. Lá vem Dani com suas ideias!!
Entramos no bar e por acaso era dia de clássico. Chelsea x Arsenal. Dani em cócegas queria abortar o teatro para ver o jogo. Até porque o bar estava cheio de torcedores fanáticos e bonitinhos. O Hugo se caiu de amores pela garçonete, só por que ela fala 'How do you do'... Ai, ai....

Consegui com jeitinho convencê-los a ir, pois o espetáculo valia a pena, com a promessa de voltar depois. OK. Devoramos os snacks e nos mandamos pro teatro. Chegando lá, olhamos a volta e só vimos turistas. Muitos deles brasileiros e quase todos de calças jeans!!! Ficamos nos sentindo ETs com nossos saltos. Whatever!! - Ponderei - Estão todos loucos!! Ninguém com um pingo de juízo pode ir ao Her Majesty de calça jeans!

Matei minha vontade de ver o musical, que novamente estava lindíssimo. Ao sair do teatro eu queria comentar sobre os atores, a performance da Christine e do fantasma, o cenário, etc e tal..... Mas que nada,.... Vamos para o Sports bar!!! Quem sabe o jogo não está na prorrogação!! O Arsenal ainda tem chances no campeonato, mas o Chelsea tem sei lá eu quantos pontos. Se der empate.. bla. bla. bla.... Quem disse que mulher não entende de futebol? Dani tem a tabela do campeonato inglês toda na cabeça. Ela e Hugo se embrenharam num animado papo futebolístico e eu sobrei... virei o fantasma....

Tudo bem. Vamos ao bar! Chegando lá, não ficamos sabendo do resultado do jogo, as TVs foram desligadas e os torcedores fanáticos e bonitinhos se mandaram. Abriram espaço para animados rappers! Ao som de muito hip hop, entramos pra ver qual era. Era noite de entrada gratis e drinks a 1.25 libras. Afinal, era segunda-feira, gente!! Quem vai pra boite numa segunda-feira?!!! Só nós e os hip-hoppers!

Os drinks consistiam em shots de vodka, whisky e umas bebidinhas coloridinhas não identificadas. Como não gosto de vodka pura, concordamos em entrar no whisky. Matamos um, dois, três shots. Sempre seguindo o ritual da famosa reza , puxada por Dani Callado - Não me peçam pra lembrar.. Só sei que começa com Saracura nazareno, sei-lá-o-que e termina com arriba, abajo, al cientro e adentro...

Depois dos três primeiros shots eu já estava animadinha. Aí, resolvemos inovar. O que são essas bebidinhas coloridinhas? A garçonete explicou que eram coquetéis de frutas. Tinha de morango, blueberry, blackberry, e mais não sei mais que berries. Na dúvida, pedimos uma de cada. Eram seis no total!

Tomando shots e dançando hip hop íamos gastando nossa última noite em Londres. Já enjoada de tanto R&B, tomei coragem (ou mais um shot talvez, nem lembro) e fui tomar satisfação com o DJ. Do you have Brazilian Music? O DJ respondeu que não no meio de uma gargalhada. Insisti e perguntei se não tinha pelo menos música latina, tipo salsa... Ele riu de novo e apontou para o público, fazendo sinais que poderiam ser traduzidos assim: ´Se eu tocar isso aqueles caras me matam´.

Ok, conformada, voltei decidida a fazer o Hugo dançar. Ele, por sua vez estava decidido a bancar o guarda costas! Fazer o quê...

Depois de uns dez minutos, nosso amigo DJ resolveu fazer um agrado e anunciou no microfone que iria tocar umas músicas em homenagem às brasileiras! Aí tocou Regatone e Shakira! Valeu a tentativa. Ficamos muito agradecidas com a homenagem e fomos dançar, bem no meio do palco!! As inglesinhas, coitadas, tentavam acompanhar, mas a competição é desigual. Segundo Dani, elas têm problemas congênitos nos quadris. Ou mexem o quadril ou mexem os pés. Não conseguem fazer as duas coisas ao mesmo tempo....

Como estávamos começando a ficar famosas, nosso guarda-costas resolveu assumir o controle da situação! -OK, meninas, a carruagem vai virar abóbora! Precisamos ir. We gotta go... NOW!! Hugo foi tão persuasivo que só precisou repetir três vezes para me convencer... O argumento definitivo foi o vôo que iríamos pegar em algmas horas... Adivinha com quem? Com a Ryanair, é claro!!!

Hugo foi um verdadeiro gentleman. Ajudou a vestir nossos sobretudos e saiu na neve a chamar o táxi. Depois, abriu a porta para nós e orientou o motorista até chegarmos ao hotel. Fiquei orgulhosa!!!

Eu fui dormir feliz. Ou melhor, cochilar, pois tínhamos que levantar às 4 horas e já era mais de 1 hora quando fomos dormir. Foi uma noite e tanto. Como é bom tirar férias!

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

London, London

 A primeira etapa de Paris terminou com uma animada festa de Pre-Natal em uma pizzaria. A casa ja estava fechando, mas explicamos que era nosso Natal antecipado e que Nanda teria que trabalhar no dia seguinte e todos viajariamos e a deixariamos só... Nao sei se foi a historia ou os hilários chapeuzinhos de duendes que usávamos, mas o fato é que o gerente se comoveu e nos deixou entrar. Só nos avisou que a cozinha estava fechando e que nao serviria pizza. Tudo bem. Todos topamos. O gerente nos preparou o melhor Croque Monsieur que eu ja comi na vida!!! Não se empolguem! Esse é só um nome bonito para misto quente!! Mas veio caprichadinho. Veio até com salada!!! Estava mesmo uma delicia. Tomamos um vinho bordeaux para comemorar o Natal da Nanda e fizemos uma festa no restaurante. Em menos de meia hora ja havia outros clientes que se animaram para entrar vendo a nossa empolgação. No fim das contas, o gerente se deu bem! Olhei de soslaio e reparei que os Crèpes Messieur das outras mesas não estavam tão bonitinhos como os nossos. Definitivamente, tivemos um tratamento VIP!
Depois da animada festa, dormimos quase nada e rumamos para a Gare du Nord bem cedinho. Lá, pegamos nosso trem para Londres. Tentei ficar acordada para ver a entrada do tunel, mas que nada!!! Dormi profundamente até chegar ao destino. Dali, ainda tivemos que pegar um metrô até o hotel que fica bem pertinho da Victoria Station que por sua vez é perto de tudo que um turista quer ver em Londres. Excelente escolha!!!! Para começar o dia bem... CLARO!! O tradicional Fish'n'chips com cerveja!!!
Voltamos para o hotel, felizes, alimentados e de pilequinho!!. À noite, fomos ao Picadilly Circus onde eu e Dani torramos 5 libras em moedinhas de 2 cents nas maquinas caça-níqueis! Enquando apostávamos ensandecidas, Hugo se divertia nos jogos de luta, tiro e corridas. Esse negócio vicia, gente!! Tomem cuidado! Se voce sofrer de qualquer tipo de compulsão, fique longe do Trocadero!!!
Depois de perder todos os nossos pennys, resolvemos que era hora de comer de novo. Lembramos que era noite de Natal e procuramos um lugar adequado para comemorar... Mas que lugar seria esse.... Um lugar onde se possa comer e celebrar o Natal com troca de presentes e tudo... .... Hum...

McDonald's!!! É C.L.A.R.O!!! Elementar, meu caro Watson!

O Mclanche Feliz em Londres se chama Happy Meal e também vem com presentes! Nossa ceia de Natal foi bem engraçada. Todo mundo olhava para aquelas figurinhas de chapéu de duendes. As pessoas paravam a gente na rua para comentar. Merry Christmas pra cá, Nice hat pra lá! Teve gente perguntando se iríamos distribuir presentes! E viva a liberdade de expressão! Adorei Londres!
Voltamos para o hotel felizes com nossos novos brinquedos. Mais um soninho rápido porque amanhã tem mais aventuras!

domingo, 2 de janeiro de 2011

Paris, Je vous salut

Ferias de mochileiros sao assim. Dormir pouco e fora de hora. Comer muito e fora de hora. Fica tudo uma bagunça. Em Paris eu posso dizer que dormi um dia sim o outro nao. Comer, entretanto foi um dos meus passatempos favoritos! Todos os dias!
Penso que rezei pouco em Dublin. Ou entao, o universo entendeu que nao estou preparada para mudar de fase. Deste modo, em Paris, ao inves de progredir para a fase amar, me vi regressando a fase comer! Minha primeira refeicao em Paris consistiu num sanduiche arabe tao grande que tive que comer de garfo e faca. Foi num restaurante libanes proximo a Gare de Lyon e vinha acompanhado de batatas fritas crocantes e quentinhas. Dieta?? O que e isso mesmo?

Mas nem tudo foi manger. Tive uma overdose de cultura, incluindo tres visitas ao Louvre, duas ao Musée D'Orsay e uma ao Musée d'Orangerie. Este ultimo, idealizado por Monet, é bem pequenino. Vale a pena visitar. Tem varias obras dos Impressionistas e alguns quadros de Van Gogh. A vedete do museu sao os paineis de Monet retratando os diversos momentos do dia em seu jardim. Paris esta impregnada de arte. Pelas paredes das estaçoes, nos monumentos. Ha quem diga que em Paris tudo que reluz é ouro. E deve ser mesmo.

Dentro do Musee d'Orsay ha um belissimo restaurante. Muito bem decorado e com precos viaveis, embora nao chegasse a ser barato. Alias, Paris e uma cidade tao cara que nao tem a palavra "barato" em seu vocabulario. Quando querem dizer "barato" dizem "pas cher" , que quer dizer "nao caro"! Comi ali um dia com o Hugo. Ele, acostumado as generosas porcoes do McDonald's, nao escondeu o desapontamento ao ver seu pedido todo arrumadinho e colorido como um quadro de Rafael, escondidinho no fundo do prato. Eu ri da sua frustracao e lhe ofereci o pao italiano que e servido de forma generosa. Provavelmente para compensar a pequenez da refeicao. Nao lembro o que comemos, mas estava muito gostoso.
Alem dos museus, ha outros passeios legais para fazer. Tirar fotos na praca da Concordia, no Jardin de Tullerie, na Catedral de Notre Dame, nas pontes sobre o Sena, etc... Alias, um aparte sobre o rio Sena. Nao me sinto bem passando por ali. Tenho sempre a impressao de ver varios corpos sendo jogados desde as pontes sobre o rio. Acho que a energia da Revolucao ainda impregna o lugar...Sei la...

Na Praca da Concordia havia um parquinho que a noite ficava cheio de criancas. Os franceses nao tem medo do frio e nao ficam em casa por nada. As ruas estao sempre cheias de gente, com neve ou sem neve!Em um dos dias andei sozinha pela cidade. Resolvi andar desde a Concordia ate o Arco do Triunfo e voltar a pe. Da um total de uns 6 km. No caminho, vi uma Champs-Elysées belissima. Toda iluminada e cheia de barraquinhas que vendiam de tudo. De bonequinhas de pano a vinho quente. De caviar a moedinhas de chocolate. Tinha ate uma exposicao de esculturas de gelo. A propaganda oferecia uma temperatura de -6 graus como se fosse parte de uma promocao de fim de ano. Compre um bilhete e sinta frio!! Muito frio!! Achei que ja estava frio o bastante do lado de fora e preferi nao entrar. Para passar o tempo e aquecer o corpo, resolvi experimentar o tal do "vin chaud" (vinho quente). Pelo numero de barracas e de propagandas, devia ser bom. E era! Eu so precisei de um copo para me sentir quentinha e comecar a achar tudo lindo. Todo mundo ficou simpatico de repente!

Na volta, eu me animei para andar na roda gigante do parquinho da Praca da Concordia. Era uma imitacao da London-Eye. Da para ter uma belissima vista aerea da cidade e tirar muitas fotos. Ali conheci um pai franco-marroquinho que levava seu filhote para passear e que me achou "tres sympa". Havia tambem um adoravel seguranca que me perguntou desolado o que eu fazia sozinha em Paris. Eu respondi em um frances tosco que meus amigos estavam com preguica de sair porcausa do frio. Ele riu. Eu tambem. Na realidade eu me perdi do Hugo, porque marcamos um encontro na piramide invertida do Louvre e como o museu estava fechado, fiquei esperando do lado de fora. Ele, mais esperto, achou um jeito de entrar pois as lojas estavam abertas ao publico e havia uma outra passagem totalmente secreta para mim. Eu, no frio, xingando o Hugo todo por sua falta de consideracao e ele, me esperando do lado de dentro, pensando porque deixou sua cama quentinha para vir me encontrar se eu nao estava la.... Os dois patetas perderam horas do dia, um xingando o outro. Em dado momento, pensei que o Hugo tinha resolvido ficar dormindo em casa e decidi andar sozinha. Foi bom. Passei o dia refletindo.  E comendo.

Ao sair do parquinho ja era noite e resolvi voltar para casa. Antes porem, nao resisti e comprei um gauffre com nutella. Gauffre se parece com o waffle belga. A cobertura de nutella quente e generosa faz valer cada centavo dos 3 euros que paguei. Fui para o metro me deliciando e revirando os olhinhos... Depois de um metro e um trem e cerca de 30 minutos de viagem, toco a campainha da casa da Nanda, minha host. A primeira coisa que ela me diz e: O que e isso no seu rosto?? E comeca a rir. Eu me olho no espelho e me deparo com uma criatura que tem a boca toda borrada de chocolate. Parecia uma crianca de 5 anos que acabou de tomar seu primeiro sorvete. Rimos todos juntos. Ri mais ainda quando descobri que eu e o Hugo estivemos no mesmo metro quadrado por um tempao sem saber do paradeiro do outro.

A visita a Paris tambem incluiu um passeio a Euro Disney com Daniella e Nanda.Como Nanda trabalha la, tivemos algumas facilidades, como entradas de cortesia e desconto nas compras. Isso nos permitiu comprar varias lembrancinhas, comer doces maravilhosos e jantar num dos melhores restaurantes do lugar. Um farto buffet que ia do paozinho ao cafezinho, com sopa, salada, prato quente, queiros e vinho. Sem falar nas sobremesas que eram "o que ha em tecnologia gastronomica" como repetia Daniella o tempo todo.

Dani interrompeu sua estada em Paris para dar um pulinho na Belgica e sentir mais frio. Acho que nao gostou do clima de Paris. Queria chegar no -15. E conseguiu! Na volta, trouxe mais casacos e duas voluptuosas caixas de bombons belgas. Minha perdicao... Eu comi chocolate puro, com cafe, com cha e ate com pizza!!

De Paris, seguimos Dani, Hugo e eu para Londres e depois para Porto e depois de volta a Paris. Adivinha como?? de Ryanair, claro!!! Essa parte eu conto amanha, ta? Neste exato momento estou em Miami em conexao esperando meu voo que sai as 21h rumo a Salvador. Sao 16 horas agora e vou aproveitar o tempinho que tenho para dar uma passadinha no Free shop.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Adios Madrid, Je vous salut Paris

Dejo Madrid en viernes, 18 de deciembre, rumbo à Paris.

A despedida de Madrid foi preguiçosa. Depois de três dias de peregrinaçao reservei meu ultimo dia para um pouco de ocio. Em espanhol, essa palavra quer dizer lazer. Em portugues, quer dizer preguiça. E eu fiz um pouco dos dois, além de algumas compras, pois ninguém é de ferro.

Pegamos o voo da Ryanair as 6 h da manha do dia 19. Madrid Barajas-Paris Beauvais.

Ai, a Ryanair!!!! Pense bem antes de viajar pela Ryanair. Sao muito rigorosos com o peso e as dimensoes da bagagem. A multa por excesso de bagagem pode sair mais cara que a passagem. Alem disso, dependendo do aeroporto, voce tera que pagar de 10 a 15 euros pelo traslado ate o metro mais proximo. Tipico barato que sai caro. Mas isso nao é o pior!

Se voce decidir nao dormir na noite anterior, esqueça dormir no aviao! A cadeira nao reclina, as luzes da cabine nao apagam e as comissarias nao param de falar!!! De cinco em cinco minutos acionam o maldito autofalante para atormentar o seu juizo!! Tem fome? Experimente nossos snacks!!! Compre nossos exclusivos cigarros sem fumaça! Aproveite nossas ofertas de perfumes, sabonetes e bebidas!! Nao perca a chance de ganhar um milhao de euros comprando nossas raspadinhas premiadas! E nao e so isso!! Se voce resistir a tortura do check-in, ao banco duro e as insuportaveis comissarias, voce sera premiado com um maravilhoso toque infernal de corneta para anunciar mais um voo da Ryanair que cumpriu o horario!!!!! Mas, se voce nao gosta de corneta, nao tem problema, tambem tocamos Mozart durante o voo. Fazemos de tudo para manter voce acordado e fulo da vida!!!

Cheguei a Paris furiosa, resmungando, xingando minha propria mae e achando graça em nada!!! Para completar esbarrei com meu mapa mundi num toldo coberto de neve que caiu TODA em cima de mim!! Meu filho, que a essa altura se acabava de rir da minha desgraça  resolveu entao brincar de jogar neve na minha cara. Achei melhor relaxar e aproveitar, afinal, fazia -5 graus, eu estava sem dormir ha 24 horas e coberta de neve! Mas,afinal,  era Paris!!!

Encontramos nossa amiga Nanda na Gare de Lyon e começamos o nosso primeiro dia em Paris comendo kebab num bar libanes. Finalmente pude dormir numa cama quentinha e me preparar para mais um dia de férias.